desmame-gentil-e-o-sono-do-seu-bebê

Você quer que seu filho durma bem, mas ele desperta várias vezes para mamar? E acredita que talvez precise fazer o desmame pra que ele finalmente durma melhor, ou até já tentou esse caminho e se frustrou porque o sono dele não melhorou?

Pois é, o desmame não é garantia de que seu filho dormirá a noite toda, mas em alguns casos, ele pode ser indicado, se for constatada uma forte associação da criança precisar sempre mamar para conseguir relaxar e então, dormir.

Você já ouviu falar sobre o desmame gentil? Pois aqui você irá conhecer tudo sobre esse tema tão importante e discutido, e entender se ele é indicado para o seu caso ou não.

  • Desmame gentil: o que é?
  • Necessidade da criança de acordo com a idade
  • O desmame gentil é a solução pra que o seu bebê durma mais?
  • Cansaço acumulado
  • Comunicação e acolhimento
  • Desmame gentil e os traumas nesse período
  • Resumo do processo

Desmame gentil: o que é?

Desmame gentil é um método utilizado para reduzir as mamadas do bebê. Chamamos de gentil, pois é um processo que ocorre gradualmente, sinalizando pouco a pouco para o bebê que as mamadas estão sendo reduzidas e/ou retiradas.

Nos casos em que os pais identificam que determinada associação de sono está prejudicando a continuidade do descanso da criança (mamar para dormir, por exemplo), pode ser necessária a troca de alguns simples hábitos para que o bebê durma melhor. Ou seja, o desmame gentil é uma forma de trocar o hábito de dormir mamando por outro. Se isto for necessário, devemos ter em mente sobre o processo gradual, verificando quais ajustes podem melhorar a rotina do bebê.

Outro ponto importante a se considerar, é que o desmame gentil como desassociação do sono (nos casos em que ele for indicado) é apenas uma etapa do processo, e ele não ensina a criança a prolongar o sono, o que significa que ela poderá continuar acordando durante a noite.

A base para o bom sono é se ter uma rotina que verdadeiramente atenda às necessidades da criança em todos os sentidos, e isso não é algo fácil de se conquistar. Por isso que, muitas mães que aplicam o desmame gentil não têm sucesso e seus bebês continuam despertando… Se as mamadas noturnas forem de fato uma associação de sono, ela nunca deverá ser a primeira etapa do processo pra se ajudar o bebê a dormir melhor. Veja o relato desta nossa aluna que conseguiu ajudar seu bebê a dormir por 11h contínuas à noite, sem precisar fazer o desmame gentil, apenas ajustando pontos importantes na rotina dele que a orientamos:

Necessidade da criança de acordo com a idade

Em primeiro lugar, devemos compreender que a necessidade de mamar de uma criança irá variar de acordo com a sua idade. Quanto mais nova, mais ela pedirá o peito.

É comum que bebês entre 1 e 2 meses queiram mamar até 3 vezes na madrugada, e que essa necessidade vá diminuindo com a idade. A partir dos 6 meses, já é esperado que o bebê não peça mais para mamar de madrugada, ou que peça apenas uma vez. Ou seja, nessa idade, o bebê tem potencial para dormir por 10h-11h seguidas.

*de acordo com a indicação do pediatra.

As mamadas noturnas também dependerão muito da rotina diurna do bebê. As mamadas diurnas têm que estar em equilíbrio para não fazerem “falta” durante a madrugada, assim como tudo o que engloba a rotina da criança: nível de atividades e estimulação adequados, sonecas, intervalos em que ela fica acordada, conexão emocional com seus cuidadores etc. Ajustar a rotina de uma criança não é uma tarefa fácil, e você dificilmente encontrará informações corretas na internet sobre isso, pois rotina não significa seguir tabelas e nem o relógio! Mas é simples quando você aprende tudo que precisa ser ajustado.

Veja outro depoimento de uma aluna nossa:

O desmame gentil é a solução para que o bebê durma mais?

O desmame gentil não garante um sono mais prolongado! Afinal, não é apenas o hábito de mamar para dormir que faz seu filho despertar, mas também (e principalmente) a qualidade e o equilíbrio da rotina diurna dele e outros hábitos que ele eventualmente tenha para adormecer, como por exemplo, o colo, o uso da chupeta, o balanço, entre outros.

Um bebê que ainda precisa mamar de madrugada pode dormir bem, porém, o que não é esperado, é que ele mame de hora em hora, ou de duas em duas horas, independentemente da idade. Se este é o seu caso, está na hora de se informar mais sobre as causas que contribuem para os despertares noturnos e traçar um plano para ajudar seu bebê a dormir de forma mais prolongada.

Veja este depoimento que recebemos de uma aluna nossa que não precisou realizar o desmame gentil e, ainda assim, conseguiu ajudar seu bebê a dormir melhor:

Cansaço acumulado

Sabe quando a criança precisa dar uma breve sugada no peito ou na mamadeira e rapidamente volta a dormir? Então, este é um sinal de que há cansaço acumulado por conta de uma rotina diurna desajustada, como janelas de sono muito longas, sonecas insuficientes, ambiente pré-sono inadequado, alimentação errada, entre outros.

Quando o cansaço se acumula, a criança acorda mais vezes à noite devido ao cortisol elevado e, se ela não conseguir se acalmar sozinha para retomar o sono, precisará de ajuda, como por exemplo, dar essa breve sugadinha para voltar a dormir. Sem falar que esse nível de cortisol elevado também pode levá-la ao Efeito Vulcânico, trazendo ainda mais dificuldade para o sono.

É durante esse processo de ajuda (peito, mamadeira, chupeta, balanço etc.) que uma associação de sono pode acabar se formando para o bebê. Por isso, a recomendação é investir bastante na rotina diurna, a fim de que a criança não acumule cansaço.  Contudo, se essas mamadas noturnas frequentes já viraram um hábito, ajuste bem a rotina diurna para vencer o cansaço acumulado e, na sequência, investigue a necessidade ou não de se conduzir um desmame gentil (completo ou parcial, dependendo a idade da criança), retirando o bebê do peito e acolhendo-o em seu colo.

Ajustes na rotina do bebê

Após vencer o cansaço acumulado investindo bastante nos ajustes necessários na rotina diurna e de retirar gradualmente as eventuais associações de sono que possam estar atrapalhando a continuidade do sono do seu bebê, aos poucos, comece a ensiná-lo a dormir em seu berço de forma mais autônoma, se assim você desejar. Adormecer de forma mais independente prolonga a duração do sono, pois ao ter seus breves despertares no meio da noite entre um ciclo de sono e outro, se tudo estiver em seu devido “lugar” (ambiente, alimentação, rotina diurna, questões emocionais), a criança sabe voltar a dormir sozinha com mais facilidade, pois você a terá ajudado a adquirir essa habilidade.

Comunicação e acolhimento com o bebê

Um bebê precisa de acolhimento e de segurança para conseguir dormir bem, e não necessariamente toda criança que dorme mamando terá um sono ruim. Há aquelas que iniciam o sono mamando e não despertam à noite, ou despertam poucas vezes e seus pais estão contentes com isto; e também há aquelas que não dormem mamando, mas que precisam mamar para voltar a dormir durante a madrugada.

Uma parte bastante importante entre a mãe e o bebê é a comunicação. Mesmo com crianças maiores, que já conseguem falar algumas palavras, o choro é a principal forma de comunicação. Existem diferentes tipos de choros que, com o passar do tempo, toda mãe consegue perceber o motivo dele.

Os choros de atenção, de tédio, cansaço, dor, entre outros, fazem grande diferença e logo são notados pela mãe. Essa comunicação entre o bebê e a mãe é de suma importância para uma boa relação, trazendo acolhimento e segurança para o filho. Esse entendimento pode ser difícil quando a mãe não entende o que está errado na rotina e nos hábitos do filho que o faz chorar tanto.

Dedicar um tempo para o seu filho, brincar com ele, incluí-lo nas rotinas de casa de maneira gradual, passando confiança em suas atividades, de acordo com sua idade, são carros-chefes para que o bebê evolua e diminua o choro, seja pela noite ou durante o dia.

Desmame gentil e os traumas nesse período

O desmame gentil pode ser um período de bastantes dúvidas e estresse para uma mãe e para o seu bebê. Por ser um assunto ainda não tão difundido, é comum que muitas mães não tenham conhecimento sobre o tema e acabem cometendo pequenos erros. Nunca aplique nenhum método com seu bebê sem antes ter certeza de que aquele é o caminho certo para o caso de vocês.

Acima de tudo, buscar informações para iniciar qualquer processo com o seu filho é crucial e pode fazer total diferença. Sempre preze por informações de qualidade e de profissionais capacitados, evitando ao máximo opiniões de terceiros, que podem prejudicar toda a evolução do seu filho, em uma tarefa tão complicada quanto é o desmame.

Foque sempre em seguir os passos certos para que o desmame gentil agregue bastante na vida do seu filho e na sua. Busque sempre manter uma rotina para seguir e foque sempre nos pontos positivos, sendo assim, o desmame acontece de maneira mais natural. É isso que ensinamos para nossas alunas, veja este depoimento:

O desmame aconteceu, e agora?

Quando o desmame acontece, geralmente, ele vem associado de grandes sentimentos por parte da mãe. Com um leque de sentimentos bastante ambíguos, devemos ter calma.

Em suma, você tem a grande sensação de dever cumprido, no qual seu bebê evolui e passa para uma outra fase da vida. Essa sensação é bastante gratificante e rende grande emoção nos primeiros dias. Porém, alguns sentimentos relacionados a solidão e a tristeza surgem, mesmo tendo passado com sucesso por um processo tão delicado e individual.

Essa mistura de sensações perdura por alguns dias, o sentimento de evolução do seu filho emociona, e você deve encarar como uma conquista. Momentos de reflexões a respeito de tudo o que passaram juntos virão à tona e, a melhor escolha é relaxar e agir naturalmente.

Vale lembrar que, dias ou semanas após acontecer o desmame, é bastante comum alguns filhos voltarem a pedir o peito. Isso acontece e tem que ser tratado com naturalidade. Para a criança, é um momento bastante difícil de transição e, recaídas podem acontecer. Aja com naturalidade e busque o máximo de conversa possível.

Resumo do processo

O desmame gentil é um processo gradual, que requer muita persistência e consistência, e não é a saída para todos os bebês! Observamos sempre as situações particulares do bebê e de sua mãe, sem levar em conta outros casos.

Todo esse processo é algo individualizado, entre você e seu filho. E lembre-se: consulte sempre o seu pediatra para saber sobre seu filho, sempre que dúvidas surgirem.

Na grande maioria dos casos, realiza-se vários ajustes importantes na rotina do bebê antes de concluir algo sobre o desmame. Porém, devemos levar em conta que o processo é gradual, que deve haver o acompanhamento de um especialista, e que você precisa se sentir segura. Ter as informações corretas em mãos te ajudarão muito nesse sentido!

Se você chegou até aqui, imaginamos como você esteja exausta, né? Sabemos como é desesperador acordar inúmeras vezes à noite e, nada do que você faça, parecer ajudar seu bebê a dormir melhor…

Nós já vivemos isso na pele, daí fomos atrás da solução, estudamos e nos profissionalizamos para ajudar outras mães que como você, também sofriam muito com a privação de sono. Hoje já são mais de 8.000 famílias que tiveram seu sono restaurado após contarem com a nossa ajuda. Pra você entender melhor, criamos um vídeo que vai te mostrar mais sobre o sono do seu bebê e a como resolver o problema!

Para acessá-lo, clique no link abaixo:

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
trackback
Desmame Gentil e Redução da Mamada de Forma Gradual
8 meses atrás

[…] desmame gentil é um método de redução de mamada de forma gradual dando indícios para o bebê de que aquilo […]

trackback
Desmame gentil: conheça um pouco mais sobre esse método
8 meses atrás

[…] desmame gentil está associado a diminuição das mamadas do bebê, de maneira gradual, sem que haja malefícios […]

2
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x