efeito-vulcanico

Muitas vezes ouvimos dos mais velhos: “Na minha época não tinha nada disso!” e, no que diz respeito ao sono, por que é que antigamente os bebês tinham menos refluxo (ou nem tinham!), dormiam bem mais facilmente, não sofriam tanto com o efeito vulcânico e pareciam ser mais “adaptáveis” a vários ambientes?

Isso acontece porque vivemos numa era muito acelerada, estamos sempre com a sensação de que o tempo não rende, que precisamos correr atrás dele e fazê-lo multiplicar. Você já teve alguma época da vida em que o tempo parecia ir mais devagar? Tente se lembrar da sensação de fazer as coisas sem tanta pressa, sem querer dar conta de tudo, sem precisar correr atrás do tempo. Pois então, na época dos nossos avós e até mesmo dos nossos pais, o mundo ia mais “devagar”, as pessoas não se cobravam dar conta de tantas coisas em 24h e com isto, o ritmo era outro.

O ritmo de vida dos pais influencia no efeito vulcânico

O ritmo das nossas vidas é transmitido para os nossos filhos no dia a dia, não importa a idade. Sabendo que para uma criança não sofrer com o efeito vulcânico e conseguir dormir bem existem vários requisitos, mas que um deles é ela estar tranquila e relaxada, reflita sobre como anda o ritmo que você está transmitindo pra que seu bebê consiga relaxar e adormecer tranquilamente!

E, se chegar à conclusão de que o seu ritmo não está lá essas coisas, reflita sobre suas prioridades e se você precisa realmente dar conta de tudo no dia a dia! A vida com um bebê por perto precisa ser desacelerada pra que o ritmo dele seja correspondido e o sono se beneficie disto, senão o resultado é uma criança agitada que não dorme facilmente e que sofre com o efeito vulcânico. Esta não é a única razão pela qual os bebês não dormem bem, mas é uma das grandes razões, então é preciso refletir sobre!

Continue lendo este artigo e descubra mais sobre o efeito vulcânico.

A importância da soneca e sua relação com o efeito vulcânico

A verdade é que as sonecas são essenciais também para o sono noturno! As crianças precisam de um número de horas de sono a cada 24 horas e à noite, elas não conseguem cumprir esse total, daí a importância das sonecas: a quantidade total de horas de sono precisa ser distribuída ao longo do dia, conforme a faixa etária. Se a criança não tirar sonecas ou tirar sonecas curtas demais ao longo do dia, os pais terão que lidar com o efeito vulcânico.

Quanto menor a criança, mais vezes e mais tempo ela precisa dormir de dia pra processar as informações que adquiriu enquanto estava acordada e “recarregar as baterias” pra se desenvolver. Crianças que não fazem boas sonecas têm acúmulo excessivo de irritação, precisando extravasar todo esse estresse do dia no final dele ou durante a noite: a criança chora compulsivamente e os pais não entendem o que há de errado: é o famoso “efeito vulcânico”.

Mas não é só isso: crianças que não fazem boas sonecas podem ter seu desenvolvimento comprometido, pois a falta do descanso diurno acaba alterando o padrão do sono noturno. Numa criança que não faz sonecas adequadas, seu sono leve (sono REM) torna-se mais “profundo” (porque ela está mais cansada), e isto pode ser prejudicial ao seu desenvolvimento, já que cada fase do sono desempenha um papel específico no organismo de todos nós. Percebe porquê uma criança que dorme bem à noite, mas não faz as sonecas adequadas durante o dia, continua cansada?

Para o bom desenvolvimento do seu filho e para evitar o efeito vulcânico, invista nas sonecas adequadas para a idade dele!

Confira agora de que maneira melhorar o sono do seu filho e assim, evitar que ele sofra com o efeito vulcânico.

Veja o vídeo onde explicamos mais sobre o efeito vulcânico: 

Como melhorar o sono do bebê e impedir o efeito vulcânico

Quando a criança sofre com o efeito vulcânico e o sono está caótico, é normal acharmos que não tem solução, não só pela dificuldade em resolver o problema, mas também porque não sabemos por onde começar. E os palpites são tantos que ficamos perdidas, não é verdade? Então aqui vai um guia rápido pra te ajudar nessa empreitada que tem solução sim, em qualquer idade!

– O primeiro passo é descobrir a rotina ideal para a faixa etária da criança e ajustá-la, além de suprir as necessidades emocionais dela, mas por quê? Porque a primeiríssima coisa pra que o sono melhore é descansar o pequeno. Sim, o cansaço acumulado não só provoca o efeito vulcânico e um sono cada vez pior (porque o corpo quando está cansado não consegue relaxar pra dormir e nem manter um sono prolongado), como também uma criança cansada aceita pior as mudanças de hábitos que os pais querem introduzir. Quando estamos descansados, nosso humor e disposição ficam melhores, daí aceitamos mais facilmente as novidades e mudanças que nos são apresentadas!

– O emocional da família como um todo é igualmente importante que seja revisto, pois a criança que se sente segura, amada, atendida e cuidada, é mais tranquila e sabe que pode relaxar, se despedir e dormir! Brincadeiras de alta conexão são maravilhosas neste sentido!

– É importante que se ensine novas associações de sono à criança para que, pouco a pouco, ela consiga dormir de forma mais autônoma, com suas próprias associações, o que lhe permitirá emendar os ciclos de sono ao longo da noite, conseguindo prolongar seu descanso. Vale ressaltar que é fundamental que os pais sempre estejam ao lado durante esta fase, até que a criança conquiste confiança para adormecer sozinha. Além disso, para a manutenção dos resultados, é importantíssimo ter persistência e paciência!

Confira em nosso site outros artigos e conteúdos que te auxiliarão no dia a dia com seu pequeno!

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram

Deixe um comentário

avatar
500
  Inscrever-se  
Notificar de