Esse é o maior pesadelo de qualquer mãe e pai, não é mesmo?

A alimentação dos nossos filhos é uma das nossas maiores preocupações e aflições. Queremos que se alimentem bem, estejam nutridos para que possam crescer e desenvolver adequadamente.

E é na aflição de um filho que comer mal que adiantamos os processos e acabamos atrapalhando a relação da criança com o alimento.

Tudo se inicia no primeiro contato com o alimento, a alimentação no início da vida é fator crucial para evitar a seletividade e desenvolvimento de doenças crônicas no futuro.

Os momentos de refeições precisam ser leves e prazerosos, neste início os alimentos tem um papel muito mais de aprendizado do que nutrição. Pois com 6 meses de vida, quando se inicia a introdução da alimentação complementar (IAC), o leite ainda é a principal fonte de nutrientes do bebe.

Então, é importante criar boas memórias nos momentos das refeições, assim como lembramos dos momentos de brincadeiras.

Entenda como você pode fazer isso em qualquer fase da vida do seu filho e desde o primeiro contato.

– Trazendo o bebê ou a criança para perto dos alimentos: apresente, deixe ele tocar, conhecer, explorar. A proximidade é uma das formas de incentivo.

– Tendo momentos de refeições em família, agradáveis e leves, sem pressão. Conversem assuntos gostosos.

– Curiosidade, as crianças e os bebês tem sede por aprendizado. Eles vão querer explorar e ter curiosidade em conhecer novidades. Mostre o novo alimento com alegria e entusiasmo.

Lembre-se que ao apresentar os alimentos o objetivo inicial nunca será de comer, não crie expectativas. No primeiro contato é hora de conhecer! A partir daí as portas se abrirão naturalmente para a experimentação. Cada um no seu tempo.

O que acontece em muitas vezes, é que ficamos inseguros em relação as quantidades necessárias para o bebe e não damos o tempo necessário para que ele entenda esse novo mundo, queremos que ele engula o alimento a qualquer custo. Mas o objetivo de uma boa educação alimentar nunca será o prato vazio, e sim uma boa relação com os vários tipos de alimentos naturais.

Uma criança tem total capacidade de aprender exatamente o que ensinamos e se criamos uma boa relação desde o início da vida, muito provavelmente, não precisaremos de uma reeducação alimentar no futuro.

Alguns erros comuns podem trazer aversão alimentar e até seletividade em crianças:

Forçar o seu filho a comer a quantidade que você julga adequada. Pode gerar uma péssima relação com as sensações naturais de fome e saciedade e até distúrbios alimentares no futuro.

– Comer com a TV ligada ou qualquer outra distração. É muito importante que os bebes participem de forma ativa do ato de comer e estejam presentes e atentos ao que estão fazendo neste momento.

Substituir refeições por guloseimas ou ofertar alimentos industrializados. Além de atrapalharem o nosso paladar, fazendo com que percamos a percepção do sabor natural dos alimentos, os industrializados não tem nutrientes para corpinhos que estão em pleno crescimento e desenvolvimento.

Portanto, o que eu quero deixar de mensagem hoje é, que vocês podem conduzir esses momentos de refeições de forma leve e natural, tenham empatia e escutem o que seus filhos estão querendo dizer. Dê tempo para que eles evoluam e entendam os estímulos, seja paciente e persistente, com firmeza e afeto.

Nossos pequenos estão criando as suas memórias afetivas com os cheiros, aromas, cores, sabores e os momentos, todos os dias. Quais memórias você quer que seu filho leve para a vida? Pense nisso!

Deixe um comentário

avatar
500
  Inscrever-se  
Notificar de