Você já parou para pensar no quanto o desenvolvimento da linguagem pode impactar a vida do seu filho ou de qualquer criança ao seu redor?

Em nossa experiência como fonoaudiólogas , acompanhamos a angústia e o sofrimento de muitos pais e/ou cuidadores ao constatarem que seus filhos não conseguem se comunicar de forma efetiva. Em muitos casos, essa dificuldade já vem acompanhada de outras, ou seja, se tornou um problema que afeta outras esferas do desenvolvimento da criança.

Ao lado de pais e cuidadores em situações como essa, estão outros que enfrentam dificuldades em conduzir e manejar determinados comportamentos de crianças que usam muito o choro ou a “famosa” birra por não conseguirem lidar com frustrações. Ao nosso ver, comportamentos como esse, nada mais são do que dificuldades da criança em encontrar formas de se expressar, ou seja, de se comunicar. Por isso, uma coisa está ligada à outra.

Depois de muitos anos acompanhando histórias de pais e cuidadores em situações como essa, verificamos que é muito frequente que a preocupação com a questão do desenvolvimento da linguagem ou da comunicação só apareça quando a criança atinge determinada idade, geralmente entre 1 e 2 anos. É quando as perguntas “será que meu filho está atrasado?”, “como lidar com as birras?”, “o que estou fazendo de errado?” começam a surgir.

Somos seres humanos e, por natureza, seres falantes. A linguagem é justamente aquilo que nos diferencia de outros animais e talvez por ser algo tão natural e automático seja considerada como algo “garantido” no desenvolvimento de uma criança, ou seja, não pensamos na possibilidade de haver dificuldades nesse desenvolvimento.

A forma correta de olhar para esse assunto é entender que a aquisição da linguagem é um PROCESSO e, como tudo que está ligado ao desenvolvimento infantil, depende de múltiplos fatores: maturação de estruturas anatômicas, fisiológicas e neurológicas; condução e direcionamento de um adulto; entre outros. Olhando sob essa perspectiva, esse PROCESSO começa desde o NASCIMENTO da criança, por meio de suas interações com o mundo e as pessoas ao seu redor.

Existem evidências de que a relação com os pais ou cuidadores tem grande impacto no desenvolvimento da criança, em suas habilidades cognitivas, emocionais, sociais e de linguagem. Uma criança que apresenta qualquer dificuldade de fala e de linguagem está mais propensa a ter outras dificuldades associadas, como alfabetização, aprendizagem, e até mesmo atrasos cognitivos. Por outro lado, pesquisas também apontam que a forma como estimulamos a linguagem das crianças pode interferir direta e positivamente no desenvolvimento de habilidades cognitivas.

Por isso, nossa postura como adultos deve ser a de olhar o desenvolvimento da linguagem da criança desde cedo com todo o cuidado e atenção que esse assunto merece.

É exatamente por isso que estamos aqui: trazer informação com embasamento científico para que você repense o seu papel como adulto na vida e desenvolvimento do seu filho – ou de qualquer criança – contribuindo para esse PROCESSO. O primeiro passo dessa jornada é reconhecer que um bom desenvolvimento de comunicação e de linguagem podem fazer a diferença ao longo de toda a vida da criança.

Deixe um comentário

avatar
500
  Inscrever-se  
Notificar de